Street photography, olhar atento e uma máquina fotográfica a mão, porque nunca se sabe o que pode passar pela frente.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Passeio

Antes de mais nada o tempo, mais preciso do que a data, o momento. Depois, as circunstâncias, e mais importante: o sentido.

O carro sacode muito, ou sou eu quem escolho pistas irregulares. Tenho dó das senhoras que, mesmo a pé, tropeçam nas calçadas.

As árvores da avenida estão secas em plena primavera, e as casas, tão parecidas, carecem de uma cor que as personalize.

As crianças brincam sem perceber o que  acumulam  em motivos, para além, disparar seus devaneios.

Os que sentam nas calçadas, também observam, mas sem análises, refletem apenas o sol que os fez sair a rua.

Adoro cães errantes que por nada nos perseguem.

Absorvo o tema que embala a experiência que não tive.

O carro balança, me distraio, o latido interrompe o momento - foi-se o improvável.

Nenhum comentário: