Street photography, olhar atento e uma máquina fotográfica a mão, porque nunca se sabe o que pode passar pela frente.

domingo, 25 de julho de 2010

Proesia de Domingo

 

Corre água nas paredes na maior parte dos invernos. Traz-me o cheiro da madeira, além de decorados ritos. Vejo os anjos mal pintados pelos tetos de meus dias. Nem tanto de clausura, nem todo sol como devia, apenas paredes úmidas, a escorrer minha nostalgia.

Nenhum comentário: