Street photography, olhar atento e uma máquina fotográfica a mão, porque nunca se sabe o que pode passar pela frente.

sábado, 29 de agosto de 2009

Flash

Pedi para que me chamassem quando fosse o melhor momento. A música entrecortada incomoda, assim como não ter o que fazer agora. Acostumei-me a trabalhar todas as tardes, estar livre me deixa desconfortável, tanto quanto, este sapato moderno que resolvi comprar para ver se ficava mais a vontade. Engano, meus passos são tão duros que independem de proteção ou veste, que seja, então, apenas para bonito ou para enganar o tempo. Penso, até que me acordem, que devia ter beijado mais antes das rugas, que poderia estar além do olhar para os pés ou no aguardo para ser despertado.

Parece que chegou a hora, o som esta contínuo, embora, esta não seja minha estação favorita. Li trechos de um livro novo, e nele o pensamento da tantas voltas que chego a acreditar, que não é preciso entender tudo o que se designa como arte, apenas sentir e deixar-se ser levado.
Tenho um peso, agora nas pernas, e uma vontade de vence-lo para melhor aproveitar o dia.

Ainda não foi desta, melhor virar de lado e seguir viagem, pulo capítulos no ritmo da música, sinto ter os pés inchados e as pernas duras, mas aceito um pouco mais a falta de melhores oportunidades.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sim, provavelmente por isso e