Street photography, olhar atento e uma máquina fotográfica a mão, porque nunca se sabe o que pode passar pela frente.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Desculpa

Esta página estava precisando de um bom texto, mas bons ou maus textos não vem ao acaso, nem mantém a lógica dos eventos.

Mesmo sem regra percebo que quando há muita atividade cotidiana é necessário um tempo para desfecho como em um conto ou numa novela, para que este se transporte em crônica ou mensagem. É por isso que hoje não trago nada, nem de bom ou de mal, porque estou no meio de uma história que não dá para ser contada. São tantos os elementos, e dispersos, que preferiria falar de chuva, de ar seco e de vento, menos do que agita, incomoda ou amadurece estes e os próximos dias.

Desculpem, poderia ter produzido uma pérola, dentro de mim passam tantas possibilidades e imagens, sentidos que se transfiguram e se adaptam, mas que por não estarem prontos não virão em escrita. Por isso deixo apenas este cínico recado: aqui poderia estar um bom texto!





Espelho Mágico

Escondidos ambos os lados, motivos diferentes, sentidos alterados
o ângulo engana e exagera a única identificação provável.
Minha luz é razoável
lucidez inevitável

Descobertos, incide a dúvida do que é reflexo ou que é imagem
sob a luz o mesmo ato, revela outras vontades
uma a angústia da perda
alíviada pelo enfrentamento e pela coragem
o outro busca nenhuma
vitória da insanidade.

Espelho de dupla face,
sempre à mão,
mas ainda sei onde me acho,
na solidão
resto de nossa identidade


Para a Ceres

Nenhum comentário: